Gênero e classe numa comunidade de mineração de carvão do Brasil em meados do século XX

Género y clase en una comunidad de minería de carbón en Brasil a mediados del siglo XX

Gender and Class in a Brazilian Coal Mining Community in the Mid-20th Century

Autores/as

  • Clarice Gontarski Speranza Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Universidade Federal de Pelotas, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.48038/revlatt.n1.4

Palabras clave:

género, minería de carbón, lucha de clases, trabajo

Resumen

El artículo examina la construcción de roles de género y el lugar social de las mujeres en la comunidad de mineros del carbón en el estado de Rio Grande do Sul, Brasil, a mediados del siglo XX, un período en que la minería local alcanzó su punto máximo. En esta región, había una rígida división sexual del trabajo; el servicio de minas era una tarea masculina y las tareas domésticas eran reservadas para las mujeres. El estudio utiliza fuentes judiciales penales y laborales, documentos de los archivos de las compañías mineras y una entrevista con un residente de la región, entre otros. La investigación observa una tensión en los roles de género en los momentos de confrontación social, en los que había espacio para que las mujeres demostraran su no conformidad con la dominación impuesta por su condición femenina.

Abstract

The article examines the construction of gender and the social position of women in the community of coal miners in Rio Grande do Sul, Brazil, in the mid-twentieth century, a period in which local mining reached the peak of production. In this region, there was a rigid sexual division of labour. The mines labour was exclusively male assignment while domestic chores were reserved for women. The study uses criminal and labour judicial sources, mining companies' archives and an interview with a resident of the region, among others. The research observes a tension in the gender roles in moments of social confrontation, in which there was some space for women to demonstrate their non-conformity with the domination imposed by their feminine condition.

Resumo

O artigo examina a construção dos papéis de gênero e o lugar social da mulher na comunidade de mineiros de carvão do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, em meados do século XX, período no qual a mineração local alcançou o auge da produção. Nesta região, havia uma rígida divisão sexual do trabalho, sendo o serviço das minas uma atribuição masculina e as tarefas domésticas reservadas às mulheres. O estudo utiliza fontes judiciais criminais e trabalhistas, documentos do arquivo das empresas mineradoras e entrevista realizada com uma moradora da região, entre outras. A pesquisa observa uma tensão nos papéis de gênero nos momentos de enfrentamento social, nos quais havia algum espaço para as mulheres demonstrarem sua inconformidade com a dominação imposta por sua condição feminina.

Citas

Balanço de 1943 da Companhia Carbonífera Minas do Butiá. Diário Oficial da União, 20/04/1944, 67, seção 1.

Baron, Ava. “Masculinity, the Embodied Male Worker, and the Historian’s Gaze”. International Labor and Working-Class History, 69, 2006.

Biroli, Flávia. “Autonomia, opressão e identidades: a ressignificação da experiência na teoria política feminista”. Estudos feministas, 21, 2013.

Carola, Carlos Renato. Dos Subterrâneos da História: as trabalhadoras das minas de carvão de Santa Catarina (1937-1964). Florianópolis: UFSC, 2002.

Chalhoub, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores do Rio de Janeiro na Belle Époque. Campinas: Unicamp, 2001.

Cioccari, Marta. “Do gosto da mina, do jogo e da revolta: um estudo antropológico sobre a construção da honra numa comunidade de mineiros de carvão”. Tese de doutorado em Antropologia, PPGAS - Museu Nacional, 2010.

Crenshaw, Kimberle. “A interseccionalidade na discriminação de raça e gênero”. http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/09/Kimberle-Crenshaw.pdf

Ennes da Silva, Cristina. “Nas profundezas da terra: um estudo sobre a região carbonífera do Rio Grande do Sul”. Tese de Doutorado, PPG em História, PUCRS, 2007.

Ferreira, Jorge. Trabalhadores do Brasil – o imaginário popular (1930-1945). Rio de Janeiro: FGV, 1997.

Gontarski Speranza, Clarice. Cavando direitos: As leis trabalhistas e os conflitos entre os mineiros de carvão e seus patrões no Rio Grande do Sul (1940-1954). São Leopoldo/Porto Alegre: Oikos/ANPUHRS, 2014.

Kergoat, Daniele. “Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo”, em Dicionário crítico do feminismo, coords. Helena Hirata, Françoise Laborie, Hélène Le Doaré, Danièle Senotier. São Paulo: Unesp, 2009.

Konrad, Glaucia. “Os trabalhadores e o Estado Novo no Rio Grande do Sul: Um retrato da sociedade e do mundo do trabalho (1937-1945)”. Tese de doutorado, IFCH-UNICAMP, 2006.

Mandelli, Bruno. “Entre a lei e os direitos: as experiências dos trabalhadores acidentados na mineração em Criciúma, 1943-1950”. Dissertação de mestrado, PPG em História, UFSC, 2019).

Miller Klubock, Thomas. “Morality and Good Habits: The Construction of Gender and Class in the Chilean Copper Mines, 1904-1951”, em The Gendered Worlds of Latin American Women Workers, coord. John French e Daniel James. Durham/London: Duke University Press, 1997.

Papastefanaki, Leda. “Family, gender and Labour in the Greek Mines, 1860-1940”, International Review of Social History, 2019.

Perrot, Michelle. Jeunesse de La greve (France, 1871-1890). Paris: Éditions du Seuil, 1984.

Portelli, Alessandro. “O que faz a História Oral diferente”. Projeto História, 14, fev. 1997.

Safioti, Heleith. Gênero, Patriarcado, Violência. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

Silva, Nauber Gavski da. “O “mínimo” em disputa: salário mínimo, política, alimentação e gênero na cidade de Porto Alegre (1940-1968)”. Tese de Doutorado, PPG em História, UFRGS, 2014.

Thompson, E.P. A miséria da teoria. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

Tilly, Louise A. “Gênero, história das mulheres e história social”. Cadernos Pagu, 3, 1994.

Trempé, Rolande. “Les caractéristiques du syndicalisme minier français et son apport au mouvement ouvrier français”. Halifax, volume 16, 1, 1981.

Vega García, Rubén. “Instinto de clase y resistencias obreras en Asturias bajo la dictadura franquista”. Revista Mundos do Trabalho, 11, 2014.

Venegas Valdebenito, Hernán. “La posición estratégica de los trabajadores del carbón en Chile. De sua fortaleza a la crisis, 1920-1960”. Anos 90, 35, 2012.

Volpato, Terezinha. A Pirita Humana: Os Mineiros de Criciúma. Florianópolis: UFSC, 1984.

Wallach Scott, Joan. “Prefácio a Genders and Politics of History”. Cadernos Pagu, 3, 1994.

Williams, Cody. “To sacrifice the vital rhythms of their being: impairment, resistance, and industrial crisis in São Jerônimo, Rio Grande do Sul, 1944-1964”. Graduate Thesis, University of Oklahoma, 2019.

Witkowski, Alexsandro e Tassiane Melo Freitas. Sobre os homens desta terra – A trajetória de fundação do sindicato dos mineiros de Butiá no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: ed. autores, 2006.

##submission.downloads##

Publicado

2020-11-08